Bruxismo: causas, consequências e tratamento

O que é o bruxismo?

A palavra bruxismo deriva da palavra BRYCHEIN que significa apertamento, fricção ou atrito dos dentes entre si, com força e sem nenhum objetivo funcional. O bruxismo é uma parafunção oral de causa multifatorial, podendo comprometer de diferentes maneiras o sistema estomatognático.

O bruxismo pode ser entendido como um hábito, muitas vezes involuntário, que ocorre principalmente durante a noite, mas que pode acontecer durante o dia; de relativa intensidade e persistência ao longo do tempo pode causar danos aos dentes ou a seus tecidos de suporte. De acordo com alguns estudos, o bruxismo é uma das desordens funcionais dentais mais prevalentes, destrutivas e complexas existentes.

Pesquisas recentes apontam que o bruxismo acomete uma grande parcela da população, e, de maneira geral, sua manifestação está quase sempre associada a um cotidiano de estresse e tensões emocionais. Assim, como uma patologia de ocorrência relativamente comum, o bruxismo, pode e é encontrado em todas as faixas etárias, acometendo crianças, adultos e idosos, com prevalência semelhante em ambos os sexos.

 

Quais as causas relacionadas à presença do bruxismo?

Uma vez que o bruxismo pode estar relacionado a uma ou a várias patologias, sua causa e/ou efeito ainda não foram totalmente estabelecidos. As teorias e hipóteses que buscam a explicação de suas causas ora apóiam-se em seus efeitos, ou em suas causas, ou mesmo em ambas. Contudo, na maioria dos casos o bruxismo estará relacionado a um tipo de estresse emocional, sendo que fatores locais e fatores sistêmicos podem estar associados.

A respeito dos fatores locais, valem-se citar o desequilíbrio oclusal ou as más oclusões, ocasionadas por restaurações incorretas, posicionamentos dentais, problemas periodontais, entre outros. Já em relação aos fatores sistêmicos, podem se citar doenças do Sistema Nervoso Central, fatores genéticos, fatores alérgicos, parasitários intestinais, além de problemas nutricionais, hormonais bem como os próprios fatores psíquicos.

Quais as consequências do bruxismo para a saúde?

 

Inicialmente devemos considerar o desgaste dental, que é promovido pelo ranger dos dentes. O esmalte dental é primeiro tecido a ser afetado pelos movimentos mandibulares, onde dentes antagonistas, quando postos em contato levam a um quadro de abrasão, que tem como conseqüência a perda da estrutura dental que se instala ao longo do tempo em pacientes bruxistas.

A presença de periodontites muitas vezes pode ser observada, devido ás forças intensas que os dentes recebem, e normalmente uma sensibilidade à percussão ou mesmo dor ao morder podem estar presentes, estas, especialmente pela manhã ao acordar. Facetas de desgaste parafuncionais geralmente estão presentes em toda a dentição, com ênfase nas cúspides de molares e incisais de caninos.

Outra queixa bastante comum relatada nos portadores de bruxismo refere-se às dores de cabeça tensionais e, sua manifestação está associada a uma contração excessiva dos músculos da mastigação, podendo atingir rosto, pescoço, ouvido e até ombros. Mialgias, hipertonicidade muscular (espasmos) ou mesmo hipertrofia muscular, são alguns sintomas relativamente comuns a pacientes bruxistas.

Dores na articulação temporomandibular (ATM) também podem estar presentes, e o paciente pode relatar a presença de estalos, travamento, restrição quanto à abertura da boca e desvios nos movimentos de abrir e fechar a boca.

 

Existe tratamento?

A cura propriamente dita e permanente do bruxismo ainda é desconhecida até o presente momento. O que existe de fato é todo um conjunto de métodos a serem utilizados para seu tratamento. Assim, mais importante que tratar os sintomas do Bruxismo é investigar e buscar reconhecer e eliminar suas causas. Uma anamnese aprofundada pode trazer informações importantes sobre o paciente, seu dia a dia, seus hábitos, e assim ajudar no estabelecimento de um plano de tratamento. Contudo, a obtenção de uma harmonia oclusal e a manutenção de uma correta função fisiológica do sistema estomatognático é considerada parte fundamental do tratamento.

A utilização de placas de mordida é uma alternativa indicada à pacientes portadores de bruxismo. Suas principais funções estão relacionadas, à proteção do tecido dental, quanto aos processos de desgaste e ao alivio da musculatura e articulações temporomandibulares, contra as forças excessivas que se formam durante a parafunção. Ainda em relação ás placas oclusais, estas podem ser confeccionadas em acrílico ou silicone. Contudo muitos especialistas não recomendam a placa de silicone, por seus efeitos serem menos controláveis. Apesar de proporcionarem um maior conforto a seus usuários, elas podem estimular os hábitos e, por serem mais porosas, podem reter bactérias causando mau cheiro, de modo que a placa de acrílico é ainda a mais indicada por muitos especialistas.

Vale lembrar que pacientes portadores de bruxismo devem realizar um acompanhamento odontológico rigoroso e mesmo o uso da placa oclusal deve ser avaliada e ajustada periodicamente.

 

Dr. Francisco Carlos Rehder Neto é Cirurgião Dentista graduado pela Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto – USP; Mestre pelo Programa de Pós-Graduação do Departamento de Odontologia Restauradora da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto – USP e Doutorando no mesmo tema.

 

Matéria retirado do site http://idmed.terra.com.br/



Labordent - Laboratório de Prótese Odontológica
Rua Cel. Pedro Jorge, 304 - Prado - Belo Horizonte/MG - CEP: 30411-105 - contato@labordentbh.com.br  Fanpage da Labordent no Facebook

Mantido
por

Mantido por Chromos Planet